Notícias

Busca por testamentos aumenta 134% na pandemia, diz levantamento de cartórios – O Estado de S.Paulo

Com a crise sanitária provocada pela pandemia do novo coronavírus, a busca pela
formalização de testamentos em cartórios aumentou 134% entre os meses de abril e
julho em comparação ao mesmo período do ano passado. Em números absolutos, o
Brasil passou de 1.249 testamentos em abril para 2.918 em julho.

Os dados foram levantados pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNBCF) e, segundo a entidade, os tabeliães têm observado aumento na busca por orientações sobre os atos por idosos e profissionais da saúde, mais expostos ao contágio da covid-19, e até mesmo jovens.

O Estado líder no crescimento de pedidos foi o Amazonas (1000%), seguido por Ceará
(933%), Roraima (400%), Distrito Federal (339%), Maranhão (300%), Mato Grosso
(300%), Sergipe (260%), Pernambuco (225%), Espirito Santo (175%), Minas Gerais
1/2 (170%), Rio Grande do Sul (187%), Alagoas (167%), Santa Catarina (108%), Tocantins
(150%), Roraima (100%), Paraíba (45%), Goiás (31%), Espirito Santo (22%), Paraná
(17%), Mato Grosso do Sul (7%) e Pernambuco (6%).

A presidente do CNB-CF, Giselle Oliveira de Barros, observa que perfis de cidadãos que
antes não pensavam em planejamento sucessório passaram a refletir sobre o assunto
com a pandemia de coronavírus. “O aumento da procura pelo ato demonstra a
preocupação das pessoas diante de um cenário difícil e de muitas incertezas, sendo o
testamento a melhor maneira de assegurar sua vontade, por meio da orientação legal de
um notário sobre como realizar a distribuição de bens de acordo com a legislação
vigente”, analisa.

Desde o final de maio, com a edição do Provimento nº 100, do Conselho Nacional de
Justiça (CNJ), os testamentos passaram ser realizados online, por meio da plataforma
e-Notariado.

Matéria originalmente publicada no jornal O Estado de S.Paulo

< Voltar