Notícias

PT fala em barrar PEC do teto no Senado

PT fala em barrar PEC do teto no Senado

creditoconsignado

 

O petista Jorge Viana (AC) se reuniu na noite desta segunda-feira (5) com a bancada do seu partido, mas se recusou a dizer o que pretende fazer caso seja confirmado no comando do Senado.

O seu argumento é o de que o país passa por uma crise institucional gravíssima e que, antes de qualquer comentário, é preciso esperar a confirmação, pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, da decisão do ministro Marco Aurélio Mello.

O senador petista havia divulgado nota mais cedo dizendo que foi surpreendido pela liminar concedida pelo ministro do STF.

Disse que aguardará a notificação oficial do STF e que nesta terça (6) pretende se reunir com os integrantes da Mesa Diretora para definir as medidas adequadas que devem ser adotadas.

O afastamento de Renan Calheiros preocupa o governo de Michel Temer, que considera prioritária a votação no Senado da emenda do teto dos gastos públicos.

O segundo turno está marcado para a semana que vem.

O PT, partido de Jorge Viana, é contra o teto.

Senadores do PT afirmam que, caso seja confirmado o afastamento de Renan Calheiros, o novo presidente sofrerá uma pressão fortíssima da base do PT para adiar a conclusão da votação.

Aprovada em primeiro turno no mês passado, a proposta é a prioridade legislativa de Michel Temer para 2016.

Líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), já fala abertamente que Jorge Viana será aconselhado a adiar a votação da PEC.

Na saída da reunião com o senador do Acre, o líder da bancada do PT, Humberto Costa (PE), também evitou fazer comentários antes da formalização do partido no comando do Senado, mas adiantou um cenário de turbulência para Michel Temer.

“A nossa posição é claramente da saída desse governo e da convocação de eleições diretas para presidente. É a única maneira de termos alguém com legitimidade no Executivo.”

Humberto Costa e Jorge Viana foram para a casa de Renan Calheiros após a reunião.

Passaram pela casa do peemedebista na noite desta segunda vários congressistas, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o líder do governo no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), o presidente do PMDB, Romero Jucá (RR), e o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE).

Na saída, a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) afirmou que Renan Calheiros está tranquilo e que vai receber a notificação do STF nesta terça.

Apesar das articulações do PT, a avaliação da maior parte dos senadores que passaram pela casa de Renan Calheiros é a de que o cronograma de votação da PEC do Teto está mantido no Senado.

Como forma de pressão, Romero Jucá, líder do governo no Congresso, avisou que o calendário de votações está mantido, mesmo com a decisão do STF.

Fonte : Folha de S. Paulo

 

 

< Voltar