Notícias

Motoristas pagarão no mínimo R$ 3 nos estacionamentos públicos do Rio de Janeiro

Motoristas pagarão no mínimo R$ 3 nos estacionamentos públicos do Rio de Janeiro

estacionamentolagoa

Depois de quatro anos sem um sistema de estacionamento organizado na Zona Sul, o que abriu espaço para todo tipo de “bandalha”, um novo modelo começa a funcionar hoje no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, mas já divide opiniões. Os guardadores terão que deixar as ruas do bairro, deixando as 893 vagas rotativas dos estacionamentos públicos da região, disputadas por cariocas e visitantes, sob a gestão da iniciativa privada.

Com a medida, os preços disparam. Pelas novas regras, que estabelecem valores diferentes por dia da semana e local, o motorista terá que desembolsar de R$ 3 até R$ 10 por hora. Há os que já estão reclamando do reajuste por considerá-lo alto demais — antes era possível permanecer um dia inteiro na vaga por R$ 2 — e os, por outro lado, que renovam as esperanças de ter um pouco mais de segurança e melhoria no atendimento.

A mudança será feita pela empresa Tecnopark, vencedora da licitação da prefeitura, que deverá levar a experiência, em breve, para outras áreas da cidade. O diretor de operações do Grupo RD Tecnopark, Alexandre Kasper, argumentou que o novo modelo oferecerá um serviço diferenciado em comparação ao antigo sistema Vaga Certa do município.

— Os valores mais caros estão sendo adotados em locais onde normalmente os motoristas permanecem mais tempo. Os estacionamentos serão monitorados por 13 câmeras que estarão conectadas também ao centro de operações da prefeitura. E os carros ainda terão cobertura de um seguro de responsabilidade civil — explicou Kasper, acrescentando que os guardadores autônomos do entorno da Lagoa, do Rio Rotativo, foram aproveitados no processo de seleção da equipe dos estacionamentos, que terá cerca de 70 deles.

As tarifas vão variar de R$ 3 a R$ 5 por hora (de segunda a sexta, das 7h às 19h) e de R$ 6 a R$ 10 por hora (nos fins de semana e feriados das 8h às 24h), com base em estudos de demanda feitos pela empresa. Fora dos horários de cobrança, todos os estacionamentos serão franqueados ao público. Os usuários, porém, terão que pagar caso só retirem o veículo quando o estacionamento já estiver funcionando.

Fonte : O Globo

< Voltar