Notícias

Falta de servidores do INSS afeta atendimento em agências do Rio de Janeiro

Falta de servidores do INSS afeta atendimento em agências do Rio de Janeiro

insslogo

A falta de servidores do INSS no Rio de Janeiro tem deixado segurados sem atendimento nas agências e cobertura da Previdência Social.

Uma fonte ligada ao órgão informou que somente na Gerência Executiva Centro (Rio), dos mais de 600 servidores, cerca de 420, ou seja, 70%, estão aptos a se aposentar. Muitos já deram entrada nos pedidos de aposentadoria e, como vários deles têm direito a licenças-prêmio, esses funcionários solicitaram seus afastamentos à área de Recursos Humanos, o que tem comprometido o atendimento.

Sem servidores em número suficiente, quem precisa dos serviços enfrenta uma peregrinação. É o caso da jornalista Kátia Carneiro, de 53 anos, que desde novembro tenta requerer a pensão por morte para sua mãe, a dona de casa Lygia da Costa Carneiro, de 87, que depende da renda para a compra de remédios. Ao tentar fazer o agendamento em novembro, semanas após a morte do pai, ela foi informada de que somente conseguiria uma data para pedir o benefício em abril de 2018.

— Liguei várias vezes para a Central 135, e me informaram que não havia datas disponíveis para os próximos meses. Eles me disseram que era para eu ligar seguidamente para tentar agendar uma data, mas quando consegui, foi apenas para abril. Achei esse prazo um absurdo e fiz reclamações à Ouvidoria do INSS — contou Kátia.

A explicação do setor sobre a dificuldade de se conseguir uma data confirma a falta de servidores. Segundo a Ouvidoria, o sistema de agendamentos é aberto ininterruptamente, mas quando se chega a 180 dias sem datas disponíveis, o bloqueio é automático. As vagas, informou a Previdência, são oferecidas de acordo com a capacidade de atendimento, que diminui a cada dia por falta de funcionários.

“Não há mais vagas para dezembro (já temos 6.893 agendamentos), janeiro (6.788) e fevereiro (com 4.058 agendamentos impactados), ou seja, estão agendados mas não há servidor para atender”, informou a Ouvidoria à segurada, em resposta à reclamação protocolada por ela no dia 14 de novembro.

O INSS informou apenas que “realizou um estudo técnico e constatou a necessidade de recomposição do quadro de servidores”.

Fonte : Jornal Extra

< Voltar