Notícias

Carteira de motorista vai ganhar um chip

Carteira de motorista vai ganhar um chip

carteirademotoristachip

Considerado cada vez mais essencial no dia a dia, o celular agora também pode armazenar documentos importantes, como a CNH, o Título de Eleitor e o CPF.

A carteira de motorista vai começar a ser substituída por um cartão inteligente, com um chip armazenado. Além de dificultar as fraudes, o dispositivo vai armazenar diversos dados do motorista.

A concentração de informações promete diminuir a burocracia. Com o novo modelo, será possível validar a identidade do cidadão em bancos e serviços públicos automaticamente.

O dispositivo também vai armazenar outros tipos de informações, como dados para o pagamento de transporte público (como ônibus e metrô), além de pedágio.

O processo de implantação da nova carteira vai demorar um ano e começará a partir de janeiro de 2018. “A transição do novo modelo da carteira de habilitação deverá ser implementada junto aos órgãos estaduais até 1º de janeiro de 2019”, explicou o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, ao “Jornal Nacional’’, da TV Globo.

Os motoristas que forem renovar a carteira já vão receber o modelo novo. Mas não é necessário correr ao Detran. A antiga CNH continuará valendo até a data de vencimento. “É uma coisa que vai facilitar o serviço de muitas pessoas, até evitar filas no dia a dia”, disse o supervisor de expedição Evanildo Ferreira de Matos.

A substituição de documentos em papel por identificação pela internet, aliás, já começou a ser implementada em diversos serviços públicos brasileiros, como título de eleitor, carteira de trabalho e seguro-desemprego.

De um lado, se a tecnologia facilita a vida do cidadão, por outro poderá ajudar a economizar recursos públicos por acabar com a necessidade de impressão, reposição de documentos extraviados ou roubados.

O problema é que algumas medidas ainda estão em fase de testes, implantação ou não estão completamente disponíveis para os usuários. Outro desafio é simplificar o preenchimento de cadastros nas páginas oficiais.

Fonte : Jornal Extra

< Voltar